Blog

Conheça os conceitos básicos de Blockchain | Aislan Rocha

O blockchain se apresenta como um conjunto de tecnologias já existentes que visam atender alguns propósitos. Antes de entrarmos a fundo no assunto, é essencial conhecermos alguns fundamentos básicos da tecnologia. Primeiramente, é importante listar o que compõe a tecnologia blockchain:

1 – Redes P2P (peer to peer): Um conceito de rede formada por computadores distribuídos, mas sem a existência de um computador administrando esta rede. Amplamente utilizada em sites de bittorrent, diversos computadores da rede possuem cópias da mesma informação, tornando-a virtualmente onipresente.
2 – Criptografia e algorítimos de hash: A criptografia é um conceito muito antigo que sempre foi utilizada nas transmissões de mensagens sensíveis. Tem como principal objetivo impedir que um interceptor de uma mensagem consiga ver seu conteúdo. Já um algorítimo de hash tem a responsabilidade de – a partir de uma informação de tamanho qualquer – gerar um valor fixo correspondente a informação original.
3 – Algorítimos de consenso: Conjunto de regras, uma política de consenso que endossa cada passo de uma transação ou subtransação.
4 – Bases de dados: Uma estrutura lógica de armazenamento de dados ordenados e otimizada para a manipulação dos mesmos.

Agora que já conhecemos os componentes do blockchain, vamos ver um fluxo hipotético de uma transação. Quando uma transação se inicia, as suas políticas são definidas, especialmente a de consenso, sendo geralmente inerente ao sistema que utiliza o blockchain. Em um cenário simples, podemos entender que uma transação de compra e venda é composta por: compra, pagamento, envio e recebimento. Então, usando esta transação de compra e venda como exemplo, o comprador seleciona seu item e o compra. Portanto, temos um passo da nossa transação realizada, sendo este criptografado para ser enviado a rede peer to peer, rumo a base de dados distribuída. Neste momento, a informação já está segura sob uma forte criptografia.

Quando o dado chega na base de dados, o algorítimo hash gera uma chave única para este dado da transação, sendo este código hash associado a informação da compra, compondo assim um bloco dado + código hash. Para cada informação adicional da mesma transação, é feito o encadeamento do código hash do bloco anterior com o bloco recém adicionado. Daí o nome blockchain – um encadeamento de blocos [dado + código hash].

E essa informação é singular. A política do blockchain determina que esta informação não pode ser editada ou eliminada, pois, uma vez que a mesma atinja a base de dados, ela é aberta a quem desejar vê-la e não pode mais ser negligenciada. Se alguém ou algum sistema tentar editar ou eliminar a informação contida em algum dos blocos da transação, essa modificação irá gerar um novo hash, que não será reconhecido pelo bloco seguinte. Esta operação é imediatamente recusada e o bloco é revertido ao estado consistente anterior quando todos os blocos estavam devidamente encadeados. Já temos agora um breve conhecimento de como o blockchain funciona, mas quais as vantagens que se pode obter ao utilizá-lo?

• O blockchain é bastante eficiente em combate a fraudes. Imagine uma situação onde temos, por exemplo, 4 participantes – o comprador, vendedor, banco e a transportadora. Geralmente você não conhece as pessoas ou sistemas que representam estes participantes e, embora as instituições possam ser bastante confiáveis, em seus processos pode haver falhas. Em um cenário como este, é fácil imaginar que cada participante desta transação coletará e armazenará os dados da mesma conforme necessário para si, e, portanto, sujeitando este dado a alterações acidentais, indevidas ou até mesmo extinção. Portanto esta é uma vantagem: a informação contida no blockchain é permanente na rede, e – como já vimos – é imutável. Se você pagou pelo item comprado, está lá o seu comprovante, o banco, a transportadora e o vendedor terão livre acesso a informação, evitando assim que o este último, por exemplo, perca a informação de pagamento e lhe cobre uma segunda vez pelo item comprado
• O blockchain também é bastante seguro, pois a criptografia usada nos dados da transação é virtualmente impossível de ser quebrada.
• A transparência e auditabilidade também estão entre as vantagens do uso do blockchain em sistemas, já que a informação é aberta e pode ser auditada a qualquer momento.

Portanto, se você quiser usar o blockchain em alguma de suas aplicações, tenha certeza de que você terá pelo menos os benefícios acima (além de outras vantagens relacionadas a esta tecnologia). Para simplificar, você pode justificar o uso do blockchain com as seguintes perguntas:
• As transações no seu sistema requerem dois ou mais participantes de maneira regular?
• Seu processo no sistema pode ser melhorado? Algumas vezes o processo está no estado de excelência e não requer – imediatamente – o uso de uma ferramenta para otimizá-lo
• O processo pode se beneficiar de uma forte segurança?
• Discrepância de informação entre os participantes é uma possibilidade?
• Os dados da transação precisam ser imutáveis?
• Transparência e auditabilidade representam benefício ao seu processo/sistema?

Com uma resposta positiva a alguns ou todos estes itens, pode-se concluir que a tecnologia blockchain é uma forte aliada ao seu (s) sistema (s).

Os comentários estão encerrados.