Blog

Transformação e Aprendizado com a ferramenta Celebration Grid, utilizada no serviço Agile Coach da Meta | Edson de Lima

44322090 - inspirations can be taken from different places

No livro “The Startup Way” (2017), Eric Ries explora o conflito das empresas entre manter os negócios atuais e serem inovadoras, e para isso, propõe que os modelos de administração tradicional e empreendedorismo convivam juntos. Os gestores precisam de mecanismos para fazer a diferenciação entre a prática, que garante a sobrevivência a curto e médio prazo e a experimentação, que leva à evolução e futuro da corporação. Diversas são as ferramentas disponíveis, mas para dar início a esta transformação, a responsabilização (controles e indicadores) precisa estar alinhada com a proposta da iniciativa, para assim gerar o engajamento e motivação nos profissionais. Para gerar este engajamento, não basta propagandas e faixas pedindo aos colaboradores que tenham “sentimento de dono” e “comprometimento” enquanto a responsabilização e os processos levam à uma cultura de punição pelas falhas ao invés de incentivo a inovação.

Isto também nos leva a seguinte questão: devemos celebrar as falhas ou devemos comemorar o sucesso? Jurgen Appelo, em Management 3.0 (2011), propõe um meio termo. Assim como Ries, ele separa as práticas do dia-a-dia das experimentações e propõe uma prática chamada Celebration Grid que consiste de uma grade que mapeia o aprendizado separando sucessos, falhas e levantando o aprendizado.

Como Agile Coach na Meta, atuando diariamente com grandes empresas, facilitando esta jornada de transformação e inovação, compartilho a prática chamada “Celebration Grid”, desenvolvida por Jurgen Appelo, que consiste em uma grade que mapeia o aprendizado separando sucessos, falhas e levantando o aprendizado.

Para a dinâmica, os membros de uma equipe ou setor montam o grid e passam a responder algumas perguntas poderosas, escrevendo livremente em “post-its” o que aprenderam no período analisado e colocam nas áreas do desenho onde consideram que melhor se encaixa.

Foto: Modelo de Celebration Grid

Perguntas eficientes são questões abertas que levam as pessoas a refletir. Abaixo apresento alguns exemplos de perguntas que você pode realizar:

  • O que fizemos bem (seguindo as práticas)?
  • O que aprendemos (executando experimentos)?
  • Qual comportamento gerou sucesso?
  • Qual comportamento gerou falha?

 

Faça a primeira pergunta e aguarde todos colocarem as suas respostas no grid, então faça a próxima pergunta. Isto deve estimular na identificação de falhas. Sempre é mais fácil identificar sucessos. Após isto, agrupe as respostas por similaridade, e leia as anotações para avaliar em grupo se está ou não no local correto. Proponho que a cada item de aprendizado avaliado seja feita uma celebração. Esta celebração deve ser sincera, visível, memorável e única como uma assinatura do grupo.

Adicionalmente passei a experimentar questões complementares para a definir as ações para melhoria contínua e para isto desenho um funil na parte de cima do grid.

A primeira questão complementar é: Quais novos experimentos podemos fazer?

Baseado nos pontos discutidos analisamos como podemos melhorar.  As sugestões são escritas em post-its e colocadas no funil.

A pergunta final serve para convergir e reforçar o comprometimento de todos sobre quais ações serão executadas: Com quais podemos nos comprometer?

Assim, podemos usar votação por pontos como método e mover as ações escolhidas para o final do funil.

O Celebration Grid une retrospectiva e “fturospectiva” de forma ágil, contribuindo para construir o ambiente da sua empresa de forma segura, com profissionais engajados, colaborativos e responsáveis em alcançar o sucesso.

 

Os comentários estão encerrados.