Blog

Cinco passos poderosos para líderes adotarem e alcançarem a agilidade dos negócios

Four employees gathered around a digital tablet --- Image by © Neil Guegan/Image Source/Corbis

Assim como o proprietário de uma empresa, você deve estar sempre atento as estratégias que ajudarão a empresa ser a protagonista em seu setor. A velocidade de novos negócios que estão surgindo todos os dias faz você buscar tendências para estar no topo e permanecer relevante. De que maneira os líderes podem incentivar o desenvolvimento de organizações ágeis? Um dos caminhos que tem tornado empresas ágeis consistentes é agilidade de negócios.

O que é agilidade nos negócios? É a capacidade de entender e se adaptar rapidamente às mudanças no mercado. As expectativas para as empresas estão em constante evolução e as empresas também precisam evoluir para competir. Sendo assim, as organizações ágeis devem permanecer no topo de seu jogo! Empresas que lutam contra agilidade, por outro lado, correm o risco de ficar para trás.

Por que a agilidade de negócios é importante? Porque tornou-se um fator líder na sobrevivência do ambiente altamente competitivo de hoje e no sucesso a longo prazo. Neste caso, você, líder, deve empoderar-se e promover ações ditando um novo rumo, lembrando de quatro regras básicas:

  • Reconheça a importância da agilidade dos negócios;
  • Priorize-a no desenvolvimento de estratégias;
  • Fique à frente das rápidas mudanças nas demandas dos clientes e adote tecnologias inovadoras;
  • Trabalhe com ferramentas analíticas para melhorar continuamente a otimização de processos.

Inúmeras consultorias em agilidade criaram uma infinidade de estratégias que acomodam as mudanças na prestação de serviço dos clientes. Aqui na Meta apoiamos a jornada de nossos clientes, enfatizando as cinco etapas principais para obter agilidade organizacional.

1) Transforme a cultura organizacional e abrace a agilidade

Administrar uma organização ágil começa com o alinhamento da cultura da empresa à agilidade futura. Como líder na sua empresa, o primeiro passo é nutrir uma cultura que abrace mudanças e recompense a inovação, educando a empresa na pluralidade de pensamentos e reafirmando como as atualizações de automação de processos de negócios melhorarão a sua eficiência. Se você tem uma ideia, eu tenho uma ideia, se podemos nos sentirmos confortáveis em um ambiente, podemos aceitar que ambos não sabemos o suficiente e compreendemos que experimentos são mais baratos e com menor riscos financeiros. Criar uma mudança cultural completa significa que desenvolvedores, testadores, líderes sêniores, diretores estão dizendo: “Você validou isso? O que você está dizendo é mais interessante do que minha hipótese? Como podemos validar isso antes de fazermos uma aposta significativa nisso?”.

2) Inove o sistema de metas e orçamentos corporativos

Muitos executivos já sabem e concordam que criar o orçamento anual é desperdício de tempo e nada eficiente em um mundo tão volátil. Uma das estatísticas mais interessantes que justifica isto é que em meados dos anos 70, 80% do valor de mercado do S&P 500 era composto de ativos físicos: equipamentos, propriedades, ativos de transporte. Nos dias atuais isso mudou totalmente e hoje o valor de nossos negócios é baseado em intangíveis, em conhecimento, em movimento mais rápido, sendo ativos baseados em aprendizado em nossa organização. Revisitar a previsibilidade de metas estratégicas e adaptar para um formato mais flexível e mutável, com base no que está acontecendo nas condições de mercado e validar a cada quartil as hipóteses, é com toda certeza um caminho de menor risco e muito mais eficiente.

3) Opere como uma organização centrada no cliente

As funções, a autoridade, os talentos e os interesses da organização são totalmente investidos na construção de vantagens competitivas para clientes externos e, como resultado, táticas funcionalmente de autopreservação são abandonadas para uma colaboração aberta e transparente. Por isso, opere centrada no cliente.

4) Capacite a resposta rápida por meio da delegação

Os profissionais do conhecimento precisam de mais liberdade para experimentar, aprender e tomar decisões rápidas e impactantes e resolver problemas na fonte antes que possam se espalhar. A liderança tradicional de comando e controle surgiu naturalmente na era industrial, aonde os trabalhadores humanos eram vistos ​​como qualquer engrenagem em uma máquina. Hoje, a delegação por liderança é o que permite que uma organização detecte e responda a dados do mundo real em tempo real, o que libera a agilidade dos negócios.

5) Crie times de delivery de valor persistente e duradoura

As organizações ágeis buscam remover bloqueios desnecessários e aproveitar valores centrados no ser humano, como confiança e comunidade, para criar um ecossistema resiliente. Os membros de times de alta performance criam laços de confiança e laços comunitários profundos, o que contribui para o compartilhamento de aprendizado, feedback e experiência, sem interrupções e contínuas.

Na Meta, a abordagem da agilidade nos negócios visa ajudar nossos clientes a se tornarem organizações de aprendizado e que podem se adaptar ainda mais rapidamente. Partindo da ideia de mudança das estruturas corporativas, suas recompensas e suas políticas. Todas essas coisas devem estar abertas à inovação gerencial como primeiro passo.

Os comentários estão encerrados.